O dia em que fiz as pazes com Deus

Fui educada na religião católica. Batizada, primeira comunhão, crisma…. percorri, por assim dizer o percurso todo. O meu pai, foi educado num convento. Ali estudou até à idade adulta, mas tirando o meu casamento, não me lembro de o ver a frequentar a igreja (o que sempre me espantou, mas no entanto, nunca me contou a razão).

Cresci a pensar que tínhamos de ser muito bons, senão Deus castigava e íamos para o inferno. Na catequese, foi-me ensinado que era necessário haver a prática de confessar regularmente os meus pecados a um padre, para me purificar. Lembro-me de em vésperas de festividades, sempre que havia o tal momento da confissão, ter imensa dificuldade em enumerar os meus pecados. Pensando bem… qual será a criança que tem assim pecados para confessar?…

Ao crescer, comecei a perceber que as pessoas que iam à missa e que tinham um comportamento exemplar na igreja, cá fora nem sempre se passava o mesmo. Lembro-me inclusive de assistir a atitudes de julgamento e desrespeito por um ser humano, geradas pelo próprio padre em plena celebração da missa.

Zanguei-me com o padre. Zanguei-me com a igreja. Estava na adolescência e deixei de ir à missa. Voltei uns anos mais tarde, pelas mãos de amigos que pertenciam ao grupo de jovens da igreja, com a promessa de que o novo padre era fixe. Cheguei a cantar no coro da igreja. Mas o tal bichinho que se revolvia com algumas situações, ainda estava dentro de mim e causava-me comichões.

Casei pela igreja, eduquei os meus 3 filhos mais velhos na religião cristã. Ia à missa e até consegui convencer o meu marido a ir também (coisa que não fazia desde a infância). Mas houve um dia, em que me cansei de ouvir sempre o mesmo nas homilias: que nunca somos bons o suficiente; que Deus castiga; que o inferno e o purgatório são uma coisa horrível para quem não cumpre as regras (da igreja).

Zanguei-me de vez. Deixei de ir à missa. Zanguei-me com Deus por permitir que dentro da sua igreja houvesse pessoas que fazem mal a outras. Zanguei-me com Deus por julgar e punir. Que Deus mau é este? Não quero isto para mim, disse eu na altura.

Dentro de mim sempre houve algo que me dizia, que não podia ser assim tão mau, aquilo que a igreja me transmitiu. Que essa coisa da serpente, da culpada da Eva por ter dado ao Adão a maçã do paraíso, e da sentença do “parirás com dor”, era demasiado violenta e corrosiva.

Continue reading “O dia em que fiz as pazes com Deus”

Árvore divina – meditação guiada

Hoje começo a partilhar aqui no blog, as meditações guiadas que tenho oferecido online nas “Partilhas com amor”, via Zoom aos sábados, ao final do dia.

“Partilhas com amor”, é um programa de bem-estar totalmente grátis, para elevar a tua energia em tempos de pandemia. Já que temos de ficar em casa, vamos aproveitar para cuidarmos de nós emocionalmente, e aumentar o nosso bem-estar.

Como havia sempre quem quisesse repetir a meditação, após ter participado “ao vivo” no Zoom, quer fosse por ter gostado muito, quer fosse por ter “adormecido”, o que por vezes acontece…. 🙂 , hoje começo pela primeira meditação que ofereci.

Árvore divina, é uma meditação que te vai levar numa viagem interior de autoconhecimento e observação do teu ser e de todas as áreas da tua vida.

Aqui, vais poder conectar-te com as energias do centro da Terra e com o Cosmos, nutrindo com estas energias maravilhosas, todas as áreas da vida que estão a necessitar de um cuidado especial. Vamos também dar uma olhada global e cuidar da Tua árvore, como um todo.

Continue reading “Árvore divina – meditação guiada”

O ano em que mudamos, ou ficamos para trás

Bom dia com ALEGRIA!

Os acontecimentos dos últimos dias deixaram-me sem palavras. Estive vários dias até conseguir articular dentro de mim, uma imagem sobre o momento (mais um) de mudança, que todos atravessamos.

Sim. Falo da América, e sim, falo da morte de George Floyd.

Não me identifico com “quadrados pretos”, nem “blackouts”. Desde os tempos de escola que sou fiel à teoria de que a cor preta é ausência de cor, enquanto a cor branca contém todas as cores do espectro do arco-íris. E o termo “blackout”, pelo menos para mim, significa ausência de luz.

Apesar de me sentir consternada com o que aconteceu, e sem palavras para exprimir o que sentia, publicar um quadrado “sem cor” nas redes sociais, não ia demonstrar a totalidade da minha incredulidade, nem tão pouco, a minha total incapacidade de compreensão sobre o que aconteceu. Não compreendo e acho que nunca irei compreender o que se passou. Mas de uma coisa eu estou certa, este é mais um momento de mudança nas nossas vidas, em que temos de ter a coragem para fazer muito mais, mas acima de tudo, fazer diferente. E ficar em silêncio, não é o caminho.

Continue reading “O ano em que mudamos, ou ficamos para trás”

Licença para sentir

Olá, bem-vind@ a este espaço de partilha de luz, amor e boas energias!

Recentemente houve na minha vida, um tópico que esteve presente sob várias formas. Quando isto acontece, é porque há uma mensagem a assimilar. Costumo dar ouvidos aos meus guias espirituais e anjos, e transformo-o em post, partilhando a informação.

Através da partilha, juntos crescemos, juntos apoiamo-nos e evoluímos, em amor e luz.

Sentimentos.

Aquilo que sentimos e como sentimos.

O que fazemos com esses sentimentos?

Sentimos?

Disfarçamos e mascaramo-os, arranjando distracções?

Ignoramos?

Ou enfrentamo-os? Continue reading “Licença para sentir”

Rituais e práticas holísticas

Hoje vou falar-te de alguns dos meus rituais e práticas holísticas.

São acções com intenções específicas, nas quais coloco as bênçãos que me dão apoio, nutrem e me ajudam a manter o equilíbrio. Umas são diárias, outras mensais, anuais, ou sempre que necessito trazer uma nova energia à minha vida. Umas são muito simples, outras mais elaboradas. E como em qualquer prática holística, elas visam o bem-estar geral do ser humano como um todo.

Mas há uns ingredientes que todas têm em comum: uma excelente dose de amor, muita gratidão e claro a mais bela das magias de luz.

Estes rituais, ou práticas, se assim lhes preferires chamar, ajudam-nos a ficar mais conectados com a vida, e com tudo o que nos rodeia num livre fluxo de comunicação entre os mundos de energias espirituais, emocionais e físicas. Quando estamos mais alinhados e em equilíbrio, conseguimos manifestar com consciência aquilo que desejamos e necessitamos Continue reading “Rituais e práticas holísticas”

Imensa gratidão

Hoje acordei com aquela sensação de “Não posso”.

Não posso deixar de escrever um último post este ano, para agradecer todas as coisas boas (e menos boas também) que experienciei no último ano, na última década e partilhá-las contigo e com o mundo. A Gratidão é das acções com vibração mais elevada que existe.

Quando agradecemos algo, descobrimos a semente do amor. E mesmo que seja perante uma situação adversa, a gratidão tem o dom de transmutar a energia e eleva-la a um nível superior de expansão e iluminação.

Bem, mas hoje não me vou alongar nos benefícios da gratidão, porque a minha intenção é mesmo agradecer simplesmente e fechar este ano e esta década com chave de ouro.

E porque estamos aqui no blog,

Agradeço-te primeiro a TI, que me lês com todo o teu coração.

Agradeço a todos aqueles leitores, que assim que um post é publicado, vão lê-lo com amor.

Agradeço aos leitores de Portugal, que são o meu primeiro público, aos leitores do Brasil, que ficam coladinhos e imediatamente a seguir,  e a todos os outros leitores que espalhados por este lindo planeta elevam estas sementes em forma de palavras, a uma escala mundial. Vocês são FA BU LO SOS ! Grata!

Agradeço a todas as pessoas que conheci Continue reading “Imensa gratidão”