Sonhar e concretizar

Olá, bem-vind@ novamente!

Fico muito feliz e agradecida por te sentir desse lado, a leres-me.

Para quem me acompanha no Instagram, já deve ter percebido que estou em viagem. Sim! Estou novamente na Tailândia!

Gostámos tanto da Tailândia, que eu e o meu marido resolvemos voltar outra vez, para repetir e aprofundar Banguecoque e conhecer outros locais neste país de uma cultura riquíssima. E se da primeira vez, trouxe o meu marido quase a “reboque”, desta vez, foi ele que quis vir – claro que eu dei um jeitinho 🙂

Por ser um país tão longínquo de Lisboa, com tantas horas de voo pelo meio, pode parecer algo difícil de se alcançar. Seja financeiramente, socialmente, pessoalmente. Muitas coisas “mente”. E é isso mesmo, uma coisa da mente, da nossa mente!

A mente é aquela que consegue bloquear imensa coisa na nossa vida, e distorcer a realidade. Mas quando queremos com todo o nosso coração, tudo se transforma, tudo se desbloqueia.

Por vezes, leva anos até que algo se manifeste na nossa vida. Mas por outro, se estivermos bem abertos e preparados para receber, existem verdadeiros milagres de manifestação de desejos.

Hoje partilho contigo, o meu processo de tecer e manifestar algo, que eu considero em grande, na minha vida.

A primeira viagem que fiz à Tailândia, levou anos até que a conseguisse manifestar na minha vida. Talvez porque precisasse de libertar bagagem emocional, talvez porque ainda existissem alguns “pré.conceitos”. Simplesmente eu não estava disponível energeticamente, para viajar até lá.

Desde miúda que sonhava com lugares paradisíacos e praias fabulosas. Hoje, as praias são um mero acessório nas minhas viagens. Sou tão, mas tão apaixonada pelas diferentes culturas, pelas gentes que coabitam este mundo lindo, que é o suficiente para ser mote de viagem. Não me refiro a museus, não. É mesmo o andar pelas ruas e fazer parte daquele mundo. Absorver e ser absorvida pela energia do lugar.

Então, e como faço?

Isto é válido para qualquer tipo de co-criação, apesar de aqui usar como exemplo, a viagem.

Se há algo que me desperta a atenção, e eu sinto que me vai beneficiar de alguma forma, ou que existe algum tipo de atracção latente, começo a pesquisar e a ver imagens, ler, ver vídeos sobre o que quero atrair para mim. Sim, comprei um guia da Tailândia sem ter a certeza de ir lá!

Ao início, ficava fascinada com imagens das cores, dos templos, das histórias que me contavam sobre a Tailândia. Tenho um amigo que vive lá, e de cada vez que ele contava sobre o seu dia-a-dia, eu sorvia literalmente aquela energia, de coração bem aberto. E no fundo dizia bem alto dentro de mim: um dia eu vou lá! E imaginava-me lá.

Imaginar, visualizar, criar uma imagem no nosso coração como se já lá estivéssemos e estivéssemos a desfrutar das maravilhas do local, é um passo importantíssimo na co-criação. É o chamado sonhar acordado!

De certo que já ouviste aquela frase célebre de Walt Disney: “Se eu consigo sonhar, eu consigo alcançar.”

Falar com pessoas que já lá estiveram, é outro passo importante.

Se não tens ninguém conhecido que já lá esteve, os vídeos existentes na net sobre partilhas de experiências lá vividas, servem perfeitamente. Bebe, sorve embriaga-te dessa energia. Absorve e integra essa energia com todo o teu coração e com todo o teu amor. Mas tem mesmo de ser com todo o amor! Existem pessoas (e provavelmente conheces exemplos) com quem tu partilhas as tuas experiências bem-sucedidas, e do outro lado sentes uma energia de inveja. Pois… a energia contida na inveja não concretiza nada, a não ser o vazio e a falta de algo, que ainda aumenta mais a sensação de faltar algo na vida (tipo “pescada de rabo na boca”).

Absorver com amor e imensa alegria, é o passo seguinte e talvez o mais importante.

Quando ficamos super felizes por algo que um amigo conseguiu realizar, estamos a fundirmo-nos nessa mesma energia. Sem nos darmos conta, ela passa a fazer parte de nós de uma forma muito natural e mágica. É um outro ingrediente essencial e cheio de magia para a co-criação, que nos irá ajudar imenso.

E agradecer é o toque final, como aqueles pozinhos de perlim-pim-pim que acrescentam um glamour especial a qualquer coisa.

É perceber o que é que ao realizar determinado desejo, me faz sentir agradecida. Qual é a mais-valia dessa co-criação. O que é que ela vai acrescentar de valor à minha vida, pela qual eu consigo agradecer com todo o meu ser. E agradecer mesmo, como se já tivesse acontecido.

Nesta viagem à Tailândia, é a gratidão por poder estar com o meu marido num tempo e momento que é só para nós; e que é tão importante para um casal. Para aprofundarmos ainda mais a nossa relação. Para nos celebrarmos e ao amor que nos une. É a gratidão, por ver concretizado um sonho que me acompanha há muito. É o banhar a minha alma com uma energia tão pura e tão humilde, rica e de uma generosidade e amabilidade imensas que o povo Tailandês tem, e sentir todo o meu ser inundar-se de gratidão. É espalhar toda esta energia maravilhosa através da minha aura, para o mundo.

A energia da co-criação é uma energia que necessita de um acompanhamento constante. Ela gosta de se sentir nutrida e amada. É uma postura quase diária, ou mesmo diária, para resultados assegurados. É uma dedicação constante, com uma energia que vem do coração em amor, em alegria, em gratidão.

Vou contar-te um segredo que faz parte da minha forma de co-criar: no meu telemóvel, tenho uma aplicação com a meteorologia do mundo. Entre outras, nela está presente a cidade de Banguecoque (e até há bem pouco tempo também esteve Krabi, outra cidade que visitámos). Desde que vim da Tailândia, que vou lá frequentemente dar uma vista de olhos. Vejo que horas são lá, naquele momento. Vejo o tempo que faz e que está previsto fazer nos próximos dias. Imagino-me lá! E digo para mim: um dia eu volto lá, outra vez. 😉

E desta vez vou à Tailândia, não com um marido “a reboque”, mas com um marido que gostou tanto, que quis lá voltar também. Isto é o que se chama de co-criar com amor e alegria. É o sentirmos prazer naquilo que fazemos e darmos também prazer e alegria a quem está connosco. Partilhar as boas “vibes” da vida, também é um ingrediente importante!

E para terminar, partilho contigo umas afirmações positivas e de vibração co-criativa que ajudam neste processo. Elas fazem parte de um livro fantástico que é muito mais do que criar dinheiro, como está mencionado no título principal – “ Creating Money – attracting abundance”, de Sanaya Roman e Duane Packer.

“Eu amo e honro tudo o que eu crio.”

“Eu liberto com facilidade, confiando que nada deixa a minha vida a não ser que algo melhor esteja a chegar.”

“A minha energia está focada e direccionada para os meus objectivos.”

Se ficaste com curiosidade em ver por onde ando, espreita o meu Instagram: @teresa.aranda.sal – lá partilho com regularidade mais maravilhas da vida.

Agradeço a tua presença e desejo-te um dia muito luminoso.

Com amor, Teresa

 

 

Gratidão pela imagem: Mystic_Art_Design @Pixabay

O amor em mim

Olá, bem-vind@!

Hoje vou falar-te de amor, aproveitando a onda das comemorações do São Valentim.

É bom celebrar o amor!

O amor deve ser celebrado todos os dias e não num só determinado dia, porque o calendário comercial assim o diz.

Se o Dia de São Valentim é um lembrete para nos chamar a atenção da celebração do amor, maravilha! Mas então, que esse lembrete seja válido e esteja bem desperto ao longo de todo o ano.

Tudo gira em torno do amor. Sabias?

Provavelmente sim, até já sabias. Mas sabias que o amor gere o nosso sistema imunitário? Sim, bem junto ao nosso coração está Continue reading “O amor em mim”

Elemento Água

É com alegria que partilho contigo a nova meditação “Sopros de Luz”.

Desta vez, vamos junt@s abordar os elementos que fazem parte de nós, da nossa essência e vida, que nos nutrem e rodeiam.

Eles inspiram-nos naturalmente, através da sua presença na natureza, ou da sua invocação.

Com eles permitimo-nos libertar, transformar e nutrir a nossa vida.

Eles estão sempre presentes nas nossas emoções e na nossa forma de estar na vida. Uns mais do que outros, mas todos eles fazem parte de nós. São a nossa essência.

Hoje iniciamos este ciclo dos elementos, com o Elemento Água.

A água é um elemento essencial à vida. É ela que nos envolve in útero ainda antes de nascermos. Através dela somos nutridos e purificados.

Através no seu ciclo de vida, ela inspira-nos a sermos fluídos, resistentes, criativos, desapegados e com leveza permitir que a transformação se manifeste em nós, dando vida a uma nova forma de nós mesmos, reinventados.

Desfruta desta meditação criada especialmente para ti.

Podes aceder a esta meditação sempre que quiseres. Basta fazeres o download gratuito.

Com frequência, durante as meditações aparecem-nos imagens ou temas que necessitamos aprofundar, para melhor os compreendermos e integrar.

Para que tudo seja claro e integrado por ti com facilidade, estou à tua disposição para te guiar com esta, ou outra meditação de forma pessoal e única, e junt@s trabalharmos os assuntos que vierem à superfície, transmutando e curando o que for necessário.

As meditações são uma excelente ferramenta de obtenção de tranquilidade, foco e clareza nas nossas acções quotidianas.

Ao relaxarmos com a meditação, todo o nosso corpo reage em consonância, permitindo-nos criar um estado de bem-estar geral mais calmo, de plena satisfação e realização pessoal a longo prazo.

As meditações são igualmente uma excelente ferramenta de trabalho para grupos, com vista à melhoria da interação e produtividade de todos os elementos participantes.

Cada sessão de meditação tem a duração de 60 a 90 minutos, podendo ser realizada presencialmente, ou online. Valores especiais para grupos.

Marca a tua meditação pessoal ou em grupo e começa já hoje a mudança em ti.

Quando nós mudamos, o mundo à nossa volta muda também.

Agradeço a tua presença e desejo-te um dia muito luminoso e fluido.

Com amor, Teresa.

Gratidão pela imagem: Roegger @Pixabay

Concluir e avançar

Com o aproximar do final do ano, temos tendência a olhar para trás e fazermos uma espécie de balanço sobre o que desejávamos obter, o que conseguimos atingir e o que não foi concluído, para depois lançarmos sementes para o próximo ano. Mas este final de ano é ainda mais especial para esta prática, pois é o final de uma década.

Durante 10 anos, muita coisa muda. Mudamos nós, muda a nossa energia, muda o mundo à nossa volta. Aquele que éramos há dez anos atrás, poderá ser tão diferente daquele que somos agora, que ter dificuldade em reconhecermo-nos, é perfeitamente normal.

Uma década de mudanças

Continue reading “Concluir e avançar”

Visto de cima

No outro dia estava a ver uma publicação que uma amiga (e irmã de alma) partilhou no Facebook, com uma imagem captada lá de cima desde um avião. Era um pequeno arco-íris redondo, lindo!

Essa imagem levou-me a pensar nas coisas maravilhosas que se vêem abordo de um avião, em pleno voo. Tudo ganha uma outra perspectiva e dimensão, e muitas vezes damos por nós a tomar consciência da beleza que existe ao nosso redor, de uma forma divina, a qual por vezes nos passa despercebida.

E assim nasce esta publicação!

Sofrer e crescer

Então vamos lá. De certo que já passaste por situações muito complicadas e traumatizantes. Se nunca te aconteceu, tenho de dizer-te que és uma pessoa abençoada. Mas por outro lado, também posso partilhar contigo, que é através do sofrimento que todos nós evoluímos.

Esse mesmo crescimento através do sofrimento, ou trauma, dá-se não no momento em que ele acontece, nem tão pouco se continuarmos ligados à dor dessa mesma situação. O salto evolutivo dá-se quando conseguimos compreender o porquê, aceitando a situação como parte do nosso crescimento pessoal, e acima de tudo quando conseguimos expressar perdão e amor pelo que aconteceu.

Nem sempre é fácil. Por vezes é mesmo muito duro perdoar alguém que nos fez mal, ou nos prejudicou seriamente. Mas uma coisa posso assegurar: quando conseguimos expressar perdão (mesmo que seja só no nosso interior, no nosso coração), libertamos qualquer tipo de “corda” que nos prenda à situação passada, seja ela qual for, e conseguimos avançar em frente com confiança e a vida como que por magia, abre-nos novas portas. Continue reading “Visto de cima”

Partir a loiça

Continuando em modo Outono, a observar a suave transição de cor na natureza, com a paisagem a mudar lentamente, perdendo cor e volume, leva-me a pensar o quão fácil, ou o quão difícil é para nós humanos, mudarmos. Será fácil libertar? Ou será assim tão complicado despirmo-nos de preConceitos?

Desde os tempos de escola que me diziam que o Homem é um animal de hábitos. OK, tudo bem, desde que sejam hábitos saudáveis. Certo? Felizmente que desde lá, muita coisa mudou e a nossa consciência também. Adquirimos uma maior sensibilidade para o que nos faz bem, e para o que nos é nocivo, num vasto leque de comportamentos Continue reading “Partir a loiça”