O ano em que mudamos, ou ficamos para trás

Bom dia com ALEGRIA!

Os acontecimentos dos últimos dias deixaram-me sem palavras. Estive vários dias até conseguir articular dentro de mim, uma imagem sobre o momento (mais um) de mudança, que todos atravessamos.

Sim. Falo da América, e sim, falo da morte de George Floyd.

Não me identifico com “quadrados pretos”, nem “blackouts”. Desde os tempos de escola que sou fiel à teoria de que a cor preta é ausência de cor, enquanto a cor branca contém todas as cores do espectro do arco-íris. E o termo “blackout”, pelo menos para mim, significa ausência de luz.

Apesar de me sentir consternada com o que aconteceu, e sem palavras para exprimir o que sentia, publicar um quadrado “sem cor” nas redes sociais, não ia demonstrar a totalidade da minha incredulidade, nem tão pouco, a minha total incapacidade de compreensão sobre o que aconteceu. Não compreendo e acho que nunca irei compreender o que se passou. Mas de uma coisa eu estou certa, este é mais um momento de mudança nas nossas vidas, em que temos de ter a coragem para fazer muito mais, mas acima de tudo, fazer diferente. E ficar em silêncio, não é o caminho.

Continue reading “O ano em que mudamos, ou ficamos para trás”

Em alinhamento com o Universo

Já alguma vez “correste atrás de algo” que querias muito?

Já alguma vez quiseste muito, muito, muito algo, tanto que farias tudo para o teres?

Bem… acho que já todos passámos por isso, nem que tenha sido algures na infância, na adolescência, onde até “daríamos a vida por isso” (safa!!… as coisas que se diziam…). É bom correr atrás de algo. É bom desejar ardentemente com o coração, com todo o amor, com toda a energia que temos, pois é com essa mesma fé que os desejos se materializam.

Mas, por vezes não acontecem. E ficamos sem perceber porquê Continue reading “Em alinhamento com o Universo”

Dar o melhor de mim

Na semana passada partilhei contigo a minha visão sobre a mensagem do universo, contida no incêndio da Notre Dame em Paris. E após ter escrito esse texto, comecei a reparar em várias publicações nas redes sociais, sobre a ajuda financeira que estava a ser disponibilizada para a recuperação da catedral, em comparação com a ajuda que Moçambique poderia estar a não receber, face a “não ter uma catedral”.

Moçambique foi alvo de uma tragédia enorme, com imensas complicações após o ciclone “Idai”. É algo tão vasto que me sinto impotente, para conseguir assimilar a totalidade da situação. Como é possível que o universo tenha tal poder, para destruir desta forma?…

Se com o incêndio em Paris senti que há uma mensagem de regeneração de mentalidades, em Moçambique com a destruição do ciclone, a mensagem maior que o universo nos pode transmitir, é a de que agora, mais do que nunca, este é o momento Continue reading “Dar o melhor de mim”