Recolher e nutrir

O outono é talvez a estação do ano com as cores e os aromas mais bonitos, mas talvez das mais desafiantes de passar.

Toda a natureza se enche de cores quentes e vibrantes, que vão desde os laranjas, aos vermelhos, passando também pelos dourados. Ai os dourados…! Já reparaste como os finais do dia se enchem de uma magnifica luz dourada?

E depois são os cheiros que perfumam o ar, como as maçãs (amo o cheiro das Bravo Esmolfe!), as laranjas, as castanhas assadas, a terra molhada das primeiras chuvas, o cheiro que é libertado pelas folhas que caem e se acumulam no chão.

Hibernamos?…

E é aqui que “a porca torce o rabo”: as folhas que caem no chão! As árvores ficam despidas e sem cor, e a natureza começa a ceder os seus tons coloridos e quentes, para serem substituídos por outros mais frios e sombrios. Há muito boa gente, que acredito, gostasse de hibernar nesta fase do ano. Eu por vezes cedo e apetece-me hibernar. Quem é que nunca lhe passou esta imagem linda pelas ideias? Enroscar num ninho quentinho, acolhedor, dormir e recuperar energias, para depois acordar e suavemente despertar na, e para a primavera. É não, é? Oh sim!

Mas isso não faz parte da nossa condição humana. Como seres maravilhosos que somos, estamos dotados da característica de passar por todas as fases de transição do ano, de forma activa e consciente, dispensando a necessidade de hibernar. E isso torna as coisas mais fáceis? Nem por isso…

Esta pode ser uma altura do ano em que muitos se sentem perturbados, pois os dias cinzentos que cada vez são em maior número, encaminham-nos para o inverno. Frio, chuva, dias cinzentos, menos luz solar… Ainda por cima a hora mudou há pouco tempo, roubando-nos a luz do dia. É complicado mesmo!

Seguir o ritmo da natureza

Mas, se como humanos temos a característica de vivermos bem acordados (nem sempre, mas enfim, fazemos por isso) em todas estas transições ao longo do ano, é talvez a hora de despertarmos a nossa consciência para este dom, e seguir os passos da natureza, que são bastante inspiradores.

Ok, então estamos no outono e a hora mudou. Uma das coisas que sempre me influenciou, foi a luz solar. Desde criança que gosto de me deitar cedo; já em adulta ficava caladinha quando os meus amigos referiam deitarem-se tardíssimo, em jeito de orgulho… Hoje em dia, cada vez mais me apercebo de que quanto mais nos regulamos pela luz do sol, mais benefícios temos a lucrar. É o velho ditado do “deitar cedo e cedo erguer, dá saúde e faz crescer”. O nosso corpo está concebido para funcionar de acordo com os ciclos dia/noite. Quando o contrariamos, criamos desequilíbrios que nos causam pequenas mazelas, indo afectar o sistema imunitário. Não é que uma noitada, de vez em quando seja maléfica, não, de todo (!), mas se isso for uma constante, a nossa saúde física irá exigir a nossa atenção de forma acentuada.

Mas também, não temos de ir a correr para a cama mal o sol se põe, credo!!! É tudo uma questão de sabermos ajustar as nossas energias, bastando para isso reduzir o ritmo de trabalho ao final do dia, e optarmos por acções mais tranquilas e relaxantes.

Libertar com graciosidade

Com o outono, vem também a queda das folhas das árvores. Se olharmos para nós próprios como uma árvore, podemos à sua semelhança inspeccionar os nossos armários, gavetas e afins, e já agora também os nossos pensamentos e ver tudo aquilo que já não faz sentido existir, sejam peças de roupa, objectos que estão ali parados e sem uso, ou comportamentos que temos e precisam de um ajuste ou até mesmo de uma mudança radical.

E tal e qual como a árvore o faz, libertar com suavidade e amor, como quem larga as suas folhas, uma a uma entregando-as ao vento e ao solo em gratidão, numa dança suave, mas sentida e firme. Já alguma vez viste uma árvore arrependida, ir buscar uma folha ao chão após a ter libertado? Não, claro que não! A folha solta-se para sempre da árvore, num acto natural e gracioso.

Quando libertamos algo (objecto físico ou comportamento) devemos fazê-lo sempre como as árvores o fazem, agradecendo por tudo o que nos proporcionou, e depois deixar ir, para que se possa dar início a um novo ciclo de vida.

O outono é por excelência o tempo de limpar e  libertar o que está a mais, para que seja criado o espaço para a integração e repouso (inverno) e assim conseguirmos gerar uma força renovadora para novas energias e novas oportunidades (primavera).

E nutrir

É tempo de amadurecimento e recolha; de encontrarmos o nosso espaço interior para nos cuidarmos e nutrirmos com especial atenção; reduzir o ritmo e acalmar como se entrássemos num estado meditativo, encontrando todo o amor interior que necessitamos para nos aquecer e iluminar durante o inverno.

Nesta época de recolhimento, cuida de ti com alimentos da época e locais (evita os que vêm de muito longe e refrigerados, porque perdem nutrientes), nutre-te com infusões quentinhas e reconfortantes, um bom filme, um bom livro, bons momentos em família ou com amigos, sem esquecer os passeios ao ar livre sempre que o tempo o permita, pois são revigorantes e porque nós não nascemos para hibernar 😉

Agradeço a tua presença e desejo-te um dia bem quentinho desde o coração.

Com amor, Teresa

Gratidão pela imagem: Cocoparisienne @pixabay

2 thoughts on “Recolher e nutrir

  1. A hora de Inverno, na minha modesta opinião, não nos rouba luz do dia! Dá-nos a oportunidade de nos levantar e já ser dia! Quando ouço as pessoas a protestarem, porque temos a hora de Inverno fico sempre incomodada. Então não é tão bom levantarmo-nos, se for agora em Novembro, por volta das 7h e já ser dia e tomar o pequeno almoço sem ter a luz acesa? Eu que trabalhei todos os dias em Outubro até ao dia em que mudou a hora e todos os dias ao levantar ia à janela e só via noite escura e comia de manhã de luz acesa…..isso sim era motivo de uma certa tristeza.
    Querida Teresa, como tu não sou pessoa de noitadas! Acho que sigo o que o corpo me pede e ele precisa de descansar, depois de meses frenéticos de trabalho como guia interprete desde o fim de Março até agora. E é uma espécie de hibernação. Acho que a minha profissão se enquadra nas estações do ano. Na Primavera e no Verão até ao início do Outono é trabalhar trabalhar trabalhar como a formiguinha e agora é relaxar, nutrir, descansar e dormir para que na próxima Primavera tudo esteja pronto para mais uma época.
    Gostei imenso deste post principalmente da comparação da árvore que perde as suas folhas com o que de nós se liberta! 😍💗🍁

    Liked by 1 person

As tuas palavras são bem-vindas. Deixa um comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s