Como uma Fénix

Nesta semana que passou, a notícia do incêndio na Notre Dame em Paris inundou o mundo e chocou-nos a todos. Pelo símbolo icónico que é a catedral, por toda a riqueza nela contida, e pelas imagens divulgadas nos vários meios de comunicação, a sensação de perda e tristeza alastrou-se pelo mundo.

O facto de não ter havido vítimas nesta situação, é algo que nos conforta o coração. Nos últimos anos, devido aos grandes incêndios que Portugal sofreu, com imensas perdas humanas a lamentar, todos nós portugueses tornamo-nos mais sensíveis à questão relacionada com o fogo, incêndios e suas consequências.

O incêndio de Notre Dame toca-me de uma forma ainda mais especial, uma vez que nos encontramos em pleno tempo Pascal.

Na Páscoa, na religião católica, celebra-se a morte de Jesus e a sua ressurreição. Jesus ofereceu-se para ser sacrificado, através da morte, para que a visão da vida fosse elevada a um nível superior de consciência. Com a ressurreição, a crença na vida eterna toma uma nova perspectiva, permitindo-nos acreditar que existe algo superior a nós e à nossa vontade.

Ressurreição e renascer  

Ressurreição tem origem no latim resurrectio, que significa o ato de ressurgir, ressuscitar, voltar à vida. Mas ressurreição não é a mesma coisa que reincarnação; reincarnação implica que a pessoa regressa à vida, no mesmo corpo, sendo fisicamente a mesma pessoa.

A ressurreição dos mortos é um ensinamento fundamental transmitido em várias religiões como o Cristianismo, o Judaísmo e o Islamismo.

Quando Jesus ressuscitou, ele voltou à vida como um novo ser, numa outra dimensão completamente diferente, e ainda mais elevada, traduzindo-se numa tomada de consciência totalmente diferente por parte de todos aqueles que o conheciam e conviviam com ele, deixando-nos um legado de aprendizagens imenso.

As celebrações da Páscoa iniciam-se no Domingo de Ramos, dia em que se relembra a chegada de Jesus a Jerusalém, passando por várias cerimónias que culminam com o domingo de Páscoa, passando antes pela Vigília Pascal, dia em que já se celebra a ressurreição de Jesus e onde se realiza a cerimónia da Luz, com o acender de um novo Círio Pascal (novo fogo sagrado), dando assim inicio a uma nova era, a uma nova etapa da vida.

O elemento Fogo

Pegando na questão do elemento fogo…, por mais perturbador que possa ser, um incêndio traz destruição, mas traz também a possibilidade de o renascer para uma nova vida. A destruição pós fogo, cria o espaço necessário, para que uma nova construção possa dar início a algo diferente do que até ali tinha estado presente, e tenha sido vivido. É uma enorme mudança de padrões de pensamento e de comportamentos.

O fogo, ao longo da história da humanidade tem estado presente como elemento de grandes mudanças. Desde a destruição daquilo que não servia, como forma de purificação, a rituais sagrados para elevar em preces a consciência da comunidade, o fogo tem este poder imenso de transmutar, de mudar radicalmente a forma daquilo a que se apodera.

O fogo tem um lado assustador de destruição que intimida, mas por outro guarda em si todo um lado atractivo de paixão e de ignição, que alimenta a capacidade de gerar acção em tudo o que é iniciado do zero.

Não me sai da cabeça…

E é aqui que eu me questiono… Na segunda-feira dia 15 de Abril de 2019, após o Domingo de Ramos, a catedral de Notre Dame, símbolo do divino feminino pela sua dedicação à Virgem Maria (Nossa Senhora – Notre Dame), sofre um incêndio enorme, sem aparente causa criminal, iniciando-se na base do seu corpo central, a grande torre, que em cerca de uma hora é totalmente destruída.

A torre pode ter muitos significados em termos simbológicos, que podem ir desde um símbolo de elevação a algo divino e superior, a significar algo mais banal como simbologia fálica do membro sexual masculino.

Então… que mensagem está o Universo a querer transmitir com esta tragédia? Qual a mensagem que deverá ser por nós entendida, através do incêndio da Notre Dame?

Já pensaste nisto? O que achas tu que temos de aprender com esta situação?

Elevar a consciência 

De há uns tempos para cá, a cada situação complicada que surge, tenho me dedicado a pensar qual a lição que devo aprender com ela, em vez de entregar a minha energia à tragédia e ao caos que os media (muitas vezes) nos passam. Faço este processo sobretudo a nível pessoal, mas alargo-o também à compreensão das tragédias que acontecem no mundo.

Quando trabalhamos desde o nosso interior, desde os nossos processos internos e pessoais, alargando este trabalho até aos acontecimentos externos a nós, a nossa consciência eleva-se como um todo. Convido-te a experimentares fazeres semelhante com os acontecimentos na tua vida e no mundo, e partilha depois comigo como te sentes.

Com o incêndio da Notre Dame, tenho sentido ( e isto sou só eu a sentir/pensar…) que é como se fosse um apelo urgente do universo à mudança de comportamentos e consciência (destruição pelo fogo) a nível de valorização do feminino (simbolismo da catedral), enquanto energia colectiva, com a necessidade de abandonar o poder masculino (destruição da torre), enquanto energia dominadora, em favor de um maior equilíbrio entre feminino e masculino dentro de todos nós.

A energia masculina traz o movimento, a força, a lógica, o guerreiro, enquanto que a energia feminina traz a interiorização, a criatividade, as emoções, a compaixão. A ideia não é criar separações entre uma e outra, ou fazer crer que uma é melhor do que a outra, jamais!

A intenção é a de gerar uma união entre ambas, para que juntas em equilíbrio possam gerar um mundo melhor para benefício de todos, elevando a consciência da humanidade como um todo. Um todo entre todas as espécies na Terra, um todo com o próprio planeta, um todo com o universo e com tudo o que existe. O que sentes desta tomada de consciência? Faz sentido para ti?

Eu faço dela uma prece. Que em cada momento de tragédia, em cada caos, em cada incêndio as nossas preces se elevem mais alto, agradecendo aos anjos e a todas as vibrações de luz que intercedam por nós durante o processo de mudança e integração de uma nova consciência, enviando-nos amor e tranquilidade, dando-nos a sabedoria da fénix, que renasce das cinzas revigorada e renovada.

Agradeço a tua presença, desejando-te uma Páscoa plena de energias de renovação com amor, alegria e paz interior.

Com amor, Teresa

Partilho contigo este mantra de paz, de Ajeet Kaur:

Peace within me    (paz dentro de mim)
Peace surrounding me   (paz a rodear-me)
Peace from me   (paz desde mim)
By Thy grace, let there be peace   (pela Tua graça, que haja paz)
By Thy grace, let there be peace
By Thy grace, let there be peace

Gratidão pela imagem: Jens Enemark @Pixabay

As tuas palavras são bem-vindas. Deixa um comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s