Gravidez e Reiki

Hoje vou contar-te sobre a minha última gravidez. Foi um evento maravilhoso, milagroso e pleno de luz, ao qual eu me rendo na íntegra em gratidão pelo fruto que gerou. O começo foi um pouco atribulado. Não por razões de saúde física, mas por razões emocionais.

Andando um pouco para trás no tempo e para que possas melhor entender, tinha (e tenho!) 3 filhos que amo, quase todos adultos naquela data e todos com idades muito próximas. Depois de o último filho ter nascido foi-me diagnosticada uma “coisa” que causava esterilidade. Para quem já tem 3 filhos, isso não é um drama e nem tão pouco foi motivo para tentar curar ou inverter a “coisa”, bastou simplesmente tratar a bactéria que se tinha instalado, e pronto! Entretanto pelo caminho despertei espiritualmente e comecei a tratar de mim, a olhar para mim e para a minha “bagagem” de forma mais consciente e atenta. A vida continuou a avançar e uns anos mais tarde, quis o universo que eu me tornasse vegetariana: rejeitei naturalmente a carne e quase logo de seguida o peixe. Fui vegetariana na íntegra durante 3 anos. Para completar a “salada”, tinha 44 anos quando engravidei. Segundo uma bela parte da sociedade, 44 anos não é altura para uma mulher engravidar, seja porque é “velha” para isso, seja porque a criança “vai” nascer com “problemas”.

No início do ano em que engravidei, tive um sonho no qual eu e uma amiga que me é muito especial e querida, estávamos grávidas. Na altura achei a situação muito improvável para ela (que é um ano mais nova que eu e naquela altura não tinha filhos) e para mim então… nem valia a pena pensar no assunto! “Apaguei” o sonho e segui em frente. Quando meses mais tarde ela me disse que estava grávida… entrei em pânico, sobretudo porque lhe contei o sonho que tinha tido e ao acrescentar-lhe no momento um “mas eu não estou grávida”, ela respondeu-me “ainda!”. A questão da esterilidade surgiu novamente na minha cabeça, e quase que me descansou. Digo quase, porque os meus sonhos costumam ser muito assertivos para o bem e para o menos bem… A verdade é que pouco tempo depois, e com muita relutância (os sinais e sintomas eram muitos e a palavra que se instalou era mesmo Medo!..) lá fiz aquele teste de gravidez que se faz em casa. Enquanto lia novamente as instruções (para fazer tempo para ver o resultado), o dito já mostrava para todo mundo ver e a cores bem nítidas e definidas “Positivo”. Entrei verdadeiramente em pânico! Por tudo aquilo que a sociedade dita, e por todas as “etiquetas” que me permiti aceitar receber “como minhas” naquele momento, entrei mesmo em pânico.

Tenho infinita gratidão a dois anjos que me apoiaram incondicionalmente no momento (Homaya e Ana Paula) e me trouxeram de volta ao que realmente sou, recuperando a força e o foco naquilo que mais é importante: Tudo vai correr bem! Tudo está bem!

É claro que a gravidez trouxe algum “processo” familiar, mas juntamente com ele o amor e a magia que o acompanha, manifestaram-se de forma deliciosa e surpreendente.

Abortar é algo que não faz parte da minha forma de ver a vida. No entanto respeito outras formas de pensar. Para mim, a vida de um ser humano começa no momento em que o óvulo recebe o espermatozóide e o processo de multiplicação das células se inicia. Uma das coisas mais mágicas da vida, é perceberes que o teu corpo consegue gerar uma nova vida “do nada” e consegues ver que essa nova vida tem um coração que bate, que pulsa cheio de vida e que podes assistir a essa maravilha a partir da sexta semana de gestação, numa ecografia. Sim, o batimento cardíaco do embrião é visível a partir da sexta semana! Portanto, tive de explicar em consulta paralela, que NÃO, não queria fazer um aborto.

Neguei-me também a fazer a amniocentese apesar da minha “avançada” idade. Acedi antes a fazer uma análise sanguínea para pesquisa de ADN e verificar se poderia haver alguma anomalia, mais para descansar o meu marido. Fiz as ecografias normais e previstas onde conheci um médico maravilhoso que diz “em medicina nunca se pode dizer nem Não nem Nunca” (sábio médico!). A minha obstetra, Dra. Patrícia, foi de um apoio incondicional absoluto e colaborou sempre comigo na minha forma de viver a gravidez: “Vegetariana e o bebé nasce quando quiser, sem epidural.”

Sim, fiz a gravidez toda vegetariana e só mesmo no final é que comecei a ter apetites por peixe. Nada como saber escutar o corpo!

Passado o choque inicial da confirmação da gravidez, passei à fase de maravilha e adoração daquele ser que crescia dentro de mim. Como praticante e professora de Reiki, entreguei-me de corpo e alma ao ritual da prática de Reiki durante a gravidez. A prática diária tornou-se uma meditação em forma de melhor comunicar com o bebé e sobretudo de tecer energias para criar a realidade que eu desejava para ele e para mim. Com esta prática é desenvolvida também a intuição (que nas grávidas e mamãs se torna mais apurada), o que permitiu-me saber antes da confirmação da análise (a tal do ADN), que iria ser uma menina (!). Com o Reiki varria também as eventuais nuances que poderiam ensombrar a minha gravidez. Assim, gerou-se uma ligação tão mágica com aquela semente que ia crescendo dentro de mim e que aprendi a escutar. A comunicar com ela, numa forma que dispensava palavras.

Reiki é isto mesmo: uma forma de estar presente, aberto, escutando, recebendo e dando. Com muito amor. E com amor, tudo se transforma pela positiva. O Reiki na gravidez é muito benéfico quer para a grávida, quer para o bebé, porque ambos beneficiam de um crescente de paz e vitalidade, que irá suportar a mãe no momento do parto e os primeiros dias de vida do novo ser. Alivia também quaisquer desconfortos que possam surgir durante a gravidez, seja em que fase for (inicio, meio ou final da gravidez). Vai proporcionar ao bebé uma melhor qualidade de vida in útero, que irá ter reflexos na sua vida após o nascimento, traduzindo-se por uma maior tranquilidade, saúde e vitalidade e uma maior qualidade do sono. São desconhecidas contra indicações do Reiki na gravidez e há cada vez mais mamãs a recorrerem a esta terapia como suporte físico e emocional, nesta fase tão especial e única das suas vidas. Sim, porque cada gravidez é única e maravilhosa!

E para terminar, a Clara, esse fruto dessa sementinha maravilhosa que escolheu germinar e crescer dentro de mim, nasceu às 40 semanas (9 luas certas!) num parto normal sem químicos (!!!) sem dramas, sem stress, com muito amor e muita saúde. Nasceu num ambiente tranquilo de uma clínica em Lisboa, com uma equipa maravilhosa que nos apoiou de uma forma muito especial e amorosa. Grata a todos os que fizeram parte deste momento de vir à luz. Neste momento a Clara está quase com três anos e é uma criança muito saudável, tranquila, criativa e muito vivaz.

E sim, com o Reiki nós mudamos de dentro para fora e aquilo que nos rodeia muda também, como uma flor que abre pétala ante pétala para o amor e para as bênçãos. Não é isso que todos nós queremos, construir uma vida mais frutuosa, mais harmoniosa para nós e para aqueles que mais amamos?

Partilha comigo questões que queiras colocar sobre algo que te tenha surgido ao leres este Post e envia-me a tua mensagem.

Grata pela tua leitura.

Desejo-te um dia maravilhoso. Até breve,

Teresa

Gratidão pela imagem: à minha filha Constança, que registou em imagem cada semana da gestação (aqui com 30 semanas).  

Reiki é uma terapia natural não invasiva, que consiste na colocação das mãos do Terapeuta em alguns locais do corpo do cliente, que permanece vestido. Transmite calma, relaxa e proporciona o alívio de desconfortos físicos ou emocionais, disponibilizando espaço para a cura se manifestar. Com o Reiki, cria-se um lugar para os milagres poderem acontecer. O Reiki está acessível a todos, sem excepção de idades.

7 thoughts on “Gravidez e Reiki

  1. O que te posso dizer foi que quando soube da tua gravidez fiquei superestarrecida,abismada e ao mesmo tempo deslumbrada.ser mãe de 3 filhos já é só por si uma aventura e voltar a ser mãe com eles todos já “criados”é uma “loucura”mas,se me é permitido dizer,com um pequeno sentimento de “inveja!!!”pois era um dos meus desejos que não consegui concretizar por vários motivos,ser mãe perto dos 40 com filhos já quase adultos,Fiquei radiante por vocês e porque sei que és uma mulher excecional.grata ao universo por te ter conhecido.bj

    Liked by 1 person

  2. Que emoção ler tudo isto Teresinha.
    Sinto uma profunda gratidão por ter acompanhado todo este processo lindo.
    E sou completamente abençoada pela dadiva desta afilhada maravilhosa que é a Clara.
    Envio todo o meu amor para vocês.

    Liked by 2 people

As tuas palavras são bem-vindas. Deixa um comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s