Gerir emoções

Recentemente deparei-me com uma situação na minha vida: tenho passado por alguns episódios com uma forte dualidade de emoções presentes. E essa dualidade é tão equilibrada que é preciso ter muita clareza para arranjar um equilíbrio saudável e vivê-las, sem que a energia presente me arraste para outras que poderão não fazer sentido.

Não fora isto suficiente, reparei que nalgumas sessões em clínica e inclusive com um amigo ao telefone, me foram apresentadas mais situações semelhantes.

São situações com a presença de muita alegria e de muita tristeza e até mesmo frustração em simultâneo. Como é que é possível? Que fase estamos nós a atravessar para que o Universo nos pregue esta “partida” ?

É quase como se fosses uma criança e alguém te desse a escolher entre dois brinquedos fantásticos. Mas só podes ficar com um! De um lado tens um “upgrade” magnífico de um brinquedo que já tens. Do outro tens um brinquedo novinho em folha. Ambos te oferecem possibilidades fantásticas. E embora tu saibas que há um que é melhor que o outro, ambos são muito atraentes. Qual escolhes?

A escolha não parece muito difícil. À partida (e quase de certo!) vais escolher aquele que te faz avançar e evoluir. O tramado é olhar para o outro e perceber aquilo que vais “perder”. Não dá para ficar com os dois?… Dá vontade de perguntar, não é. Pois…!

Se o mais adequado é focarmo-nos nas alegrias que virão, com a escolha do “novo brinquedo”, mantendo uma atitude positiva e entusiasta, convém também olhar para as emoções que estão latentes na “perda” do tal upgrade. Será tristeza? Será frustração? Poderá ser até algo diferente. O que interessa é perceber o que é. E lidar com isso!

Claro que há outro caminho: o de ignorar esses sentimentos e seguir em frente, olhando só para a parte mais saborosa. Isso seria mais ou menos, como enfiar o lixo debaixo de um tapete, neste caso o “teu” tapete. Até pode ser uma solução. Mas estarás disposto a que num futuro, alguém, ou alguma coisa venha fazer sair cá para fora toda essa “lixarada” que andaste a guardar? Ummm… acho que não.

Então, a solução mais saudável está em olhares para a situação que te traz o sentimento de “perda” e identificares a emoção ou as emoções que incomodam. Sejam elas quais forem. Dá-lhes um nome (tristeza, raiva, medo, frustração…). Arranja um momento só para ti em que não vás ser incomodad@ e permite-te senti-la. Uma de cada vez. Permite que essa onda te invada, sentindo-a em cada pedaço do teu corpo.

Sem dramas, sem fugir. Simplesmente sente-a. Sente-a a borbulhar dentro de ti.

O objectivo não é que ela te domine, mas sim que tu a domines. Ela está aqui para ser libertada. E só podemos libertar algo quando realmente tomamos percepção de que esse algo existe em nós.

Vais ver que virá um momento em que essa emoção já não faz sentido. Já não está presente. Respira fundo. Várias vezes. Bebe alguma água, pois ajuda a integrar o momento e a equilibrar as emoções no teu corpo. É agora a hora de agradeceres. Agradece por teres reconhecido a sua existência. Agradece por aquilo que ela te ensinou. Agradece pelo espaço livre que ela deixou e que te permite agora, preenchê-lo com algo maravilhoso. Com emoções nutritivas. E assim poderás saborear melhor o novo caminho que se aproxima.

A isto chama-se gestão saudável de emoções. Saber criar maturidade na expressão de emoções é algo que é essencial. Sempre foi. Sempre deveria ter sido…

A verdade é que passámos por uma época em que chorar era indicador de fraqueza, era errado estar triste, sentir raiva não era correcto… enfim, um sem número de emoções que foram sendo “engolidas” devido à educação que nos foi transmitida. Está tudo bem. Quem nos passou essas “instruções” de certo que o fez com a sua melhor intenção. Temos nós agora a possibilidade de fazer diferente e melhor. De criar uma alquimia interior e gerar Ouro na nossa forma de sentir.

O importante é que tenhas muito presente de que chorar, ter medo, sentir raiva (ou outra emoção) é normal. O que deves evitar é que essas emoções te dominem, pois só te vão roubar energia e impedir-te de seguires em frente. Quanto mais libertares o que já não te serve, mais espaço estarás a criar para receberes mais e melhores novidades e frescura na tua vida.

Estás preparad@ para seres o cientista no laboratório das tuas emoções?

Se desejares ir mais fundo neste assunto e quiseres aprender a libertar emoções de forma mais consciente e profunda, podes contactar-me e guiar-te-ei com suavidade neste caminho da Vida, que se quer Leve.

Desejo-te um dia maravilhoso e agradeço-te por me leres.

Até breve!

Teresa

Gratidão pela imagem: @arjabedbd

2 thoughts on “Gerir emoções

As tuas palavras são bem-vindas. Deixa um comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s